Um Site Popular Para Mulheres Modernas, Que Vai Ajudar Qualquer Mulher Sovoyu Mudar Vidas Para Melhor

Um guia para usar o Instagram contra a anorexia para adolescentes

Um guia para usar o Instagram contra a anorexia para adolescentes: Instagram

A m√≠dia social e a web s√£o uma amea√ßa, considerando que mais de 3 milh√Ķes de italianos sofrem de dist√ļrbios alimentares, principalmente mulheres e mais e mais jovens. Um guia para o uso consciente do Instagram foi desenvolvido sobre o assunto

Hashtag no Instagram e influenciador em risco de anorexia

#Thinspirationion, #bodycheck, #thighgap, #boneinspiration #collarbone: s√£o apenas algumas das hashtags que no Instagram contam a um mundo onde o desafio, frequentemente entre pessoas muito jovens, para quem come menos, mostra as pernas mais finas ou os ossos salientes, √© agora uma realidade di√°ria. Se a rede social popular reconheceu o problema j√° em 2012, banindo 17 das hashtags indiciadas por incitar anorexia e bulimia, pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Ge√≥rgia identificaram centenas de variantes lexicais que escapam √† censura. Mas os riscos, especialmente para os adolescentes, n√£o se limitam a esses fen√īmenos extremos: at√© o papel dos chamados influenciadores √© cada vez mais central para a difus√£o de par√Ęmetros est√©ticos inating√≠veis (muitas vezes, artefatos).

A m√≠dia social e a web, portanto, representam uma s√©ria amea√ßa, se voc√™ acha quemais de 3 milh√Ķes de italianos sofrem de transtornos alimentares, principalmente mulheres e cada vez mais jovens. Um t√≥pico foi desenvolvido sobre o assunto guia para o uso consciente do Instagram, especialmente entre adolescentes, pelo provedor de ecologia 2506 Healthcare training, o psic√≥logo e psicoterapeuta Stefano Lagona, em colabora√ß√£o com o Consulcesi Club.

Para o osso, Para o osso: o filme sobre anorexia que mostra como termina

Estes s√£o os principais pontos:

  • N√≥s nos comparamos no Instagram para a solid√£o. Slogans p√≥s-anorexia, mostram imagens de mais e mais garotas esquel√©ticas, desafiam a si mesmos para aqueles que fazem as escamas ca√≠rem mais r√°pido. S√£o comportamentos que surgem quando j√° existe um problema b√°sico, se sente sozinho e busca formas de apoio e enfrentamento. O Instagram, que √© a rede social mais popular entre os muito jovens, torna-se assim um meio de desabafar o seu pr√≥prio desconforto, arriscando-se, no entanto, a acabar numa espiral descontrolada de conselhos pouco saud√°veis.
  • N√£o √© todo ouro que √© o resultado de filtros do Instagram. Jornais e TV j√° contribu√≠ram para disseminar ideais est√©ticos inacess√≠veis, aumentando sensa√ß√£o de inadequa√ß√£o especialmente entre mulheres e adolescentes: mas na era das redes sociais a press√£o sofrida pelos muito jovens em comparar sua imagem com a de outros, em busca de sua aprova√ß√£o, √© inimagin√°vel. O imediatismo das imagens, as hist√≥rias, a comunica√ß√£o aparentemente horizontal entre os influenciadores e seus seguidores, n√£o tornam √≥bvias as estrat√©gias daqueles que trabalham nas m√≠dias sociais, e conseguem transmitir uma imagem fict√≠cia de perfei√ß√£o que gera um desejo desesperado de emula√ß√£o.
  • A queixa n√£o resolve o problema. Escurecer sites da Internet e censurar hashtags pode parecer a solu√ß√£o mais r√°pida, mas n√£o aborda o problema do profundo desconforto subjacente a essas comunidades virtuais. Com a repress√£o, voc√™ s√≥ os esconde, mas o dist√ļrbio alimentar permanece inalterado. Muitos dos antigos blogs pr√≥-anorexia e pr√≥-bulimia exclu√≠dos da web s√£o agora grupos Whatsapp
  • A √ļnica arma √© a preven√ß√£o. Os adolescentes de hoje s√£o nativos digitais e t√™m todas as ferramentas e conhecimentos tecnol√≥gicos √† sua disposi√ß√£o para confrontar o que encontram online, mas n√£o est√£o t√£o preparados a n√≠vel psicol√≥gico. Os pais, por outro lado, ainda s√£o novatos na Web e n√£o conseguem entender o que acontece com seus filhos quando seguram o smartphone. Portanto, √© essencial ser capaz de capturar os primeiros sinais de alerta (uso de roupas soltas para ocultar perda de peso, hiperatividade f√≠sica, uma tend√™ncia a comer sozinho) para entrar em contato com um m√©dico imediatamente, que deve ser devidamente treinado para enfrentar uma nova vis√£o geral. de transtornos alimentares: n√£o s√≥ anorexia e bulimia, mas tamb√©m ortorexia (a aten√ß√£o exagerada √† qualidade dos alimentos), a drunkoressia (restri√ß√£o de calorias para que voc√™ possa consumir mais √°lcool sem ganhar peso) e bigoressia (a preocupa√ß√£o cr√īnica de n√£o ser musculoso o suficiente para levar ao v√≠cio do exerc√≠cio)

As indica√ß√Ķes contidas neste site n√£o s√£o intencionais e n√£o devem de forma alguma substituir a rela√ß√£o direta entre os profissionais de sa√ļde e o leitor. Portanto, √© aconselh√°vel sempre consultar seu m√©dico e / ou especialistas. Disclaimer "

Vídeo: Anorexia: Antes e Depois

ÔĽŅ
Menu